PODER PÚBLICO INTENSIFICA FISCALIZAÇÃO CONTRA CRIMES AMBIENTAIS NA CIDADE

A Prefeitura de Marília está intensificando a fiscalização para evitar descartes irregulares de lixos e inservíveis em áreas impróprias.

A determinação é do prefeito Daniel Alonso e veio após a fiscalização ambiental da Prefeitura ter flagrado descartes irregulares em áreas públicas na cidade. Desta vez, a área de preservação permanente, localizada na rua Leonor Mazalli, no bairro Jardim Santa Antonieta, foi vítima de vandalismo com descartes de resíduos diversos.

Segundo o chefe da Divisão do Meio Ambiente, Cassiano Rodrigues Leite, os descartes incorretos reduziram consideravelmente nos últimos dois anos, mas ainda há muito a se fazer para que as pessoas entendam os malefícios que esta prática acarreta à sociedade.

“Pelo que observamos durante as diligências de rotina, pontos considerados críticos, que recebiam descartes irregulares diariamente, foram reduzidos a pequenos focos, com vários, inclusive, limpos e cercados, onde conseguimos orientar a população vizinha para que nos ajude a fiscalizar”, afirmou o chefe da Divisão do Meio Ambiente.

Cassiano Rodrigues Leite disse ainda que entende que moradores próximos a estas áreas não desejam lixo na porta de suas casas e pede a todos para que ajudem neste trabalho de educação ambiental, cuidando da cidade e evitando descartes que prejudicam o meio ambiente, e ainda servem de abrigo para animais nocivos e peçonhentos, como cobras e escorpiões, além de se tornarem criadouros do mosquito da dengue.

“Além de todos os transtornos causados ainda há o risco de queimadas urbanas provocadas por populares que passam pelo local e ficam descontentes com o lixo próximo a suas residências, aumentando os danos ambientais”, afirmou Cassiano.

O secretário municipal do Meio Ambiente e de Limpeza Pública, Vanderlei Dolce, destacou a importância da colaboração dos moradores vizinhos e lembra que regularmente servidores da secretaria realizam a limpeza das áreas públicas, justamente para evitar riscos à população, mas ainda assim alguns poucos cidadãos insistem na prática de descartes incorretos. “Os transtornos vão desde problemas à saúde e crimes ambientais, a despesas desnecessárias, com manutenção constante em locais que foram limpos recentemente”, afirmou o secretário.

Vanderlei Dolce disse ainda que esta área da Leonor Mazalli não possuía asfalto e servia como lixão a céu aberto. “Esta gestão asfaltou o local e realizamos a limpeza da área. Foi construída uma Unidade de Saúde e agora, em parceria com o vereador João do Bar, estamos cercando a nascente para plantar mata ciliar. Além disso, vamos organizar uma horta comunitária em área anexa, que vai beneficiar a população carente da região”.

Denúncias sobre descartes irregulares podem ser feitas através da Ouvidoria Geral do Município pelo telefone 0800-7766111.

 

Por fim leia mais O Mariliense