Marília terá 4ª etapa da pesquisa Epicovid com 250 testes para Covid-19

A Prefeitura de Marília, recebeu nesta quarta-feira (5) da Universidade Federal de Pelota (RS) a informação de que a empresa Ibope, contratada pela parceria entre o Ministério da Saúde e a Universidade, estará realizando a quarta etapa da pesquisa para detectar casos da Covid-19 em Marília entre os dias 20 e 23 de agosto (de quinta-feira a domingo).

A logística e a metodologia do estudo seguem o mesmo funcionamento das três etapas anteriores. Nos quatro dias de coleta, entrevistadores do Ibope Inteligência, empresa de larga experiência em pesquisas populacionais, vão visitar 250 domicílios selecionados por critérios estatísticos e convidar os moradores a participar das entrevistas e testes rápidos para o coronavírus. Como nas outras etapas, um profissional de enfermagem contratado e residente no município fará o contato prévio para a elaboração da logística em cada local.

A pesquisa é parte de um estudo que está sendo desenvolvido pela Universidade Federal de Pelotas (RS) e aplicado pelo Ibope Inteligência para levantar o número de casos de infecção pelo Novo Coronavírus na população brasileira, incluindo pessoas que não têm sintomas. Além de Marília, outras 132 cidades do Brasil participam desta pesquisa.

Os resultados desta pesquisa irão auxiliar na elaboração de estratégias de saúde para combater a pandemia no país. No total será realizado o teste em 99.750 casas em 133 municípios do Brasil.

Segundo o Professor Pedro Curi Hallal, Reitor – Universidade Federal de Pelotas, a continuidade do estudo tornou-se viável através de financiamento do programa “Todos pela Saúde”, aliança criada pelo Itaú Unibanco, para apoiar o enfrentamento da covid-19 no Brasil em diversas frentes, entre elas, o suporte a iniciativas de pesquisa. “Acreditamos que a instituição tenha sido muito feliz na escolha de um nome que reflete a necessária integração de todos os setores da sociedade aos esforços dos poderes públicos para preservar a saúde e prevenir mortes evitáveis de brasileiros em meio a essa crise sanitária sem precedentes.”

“Por isso, agradecemos aos gestores municipais e estaduais que, por meio das Coordenações de Vigilância Epidemiológica, de Vigilância Sanitária e de Atenção Primária à Saúde, que prestam apoio a esta pesquisa sem o qual não teria sido possível contornar obstáculos iniciais e garantir a obtenção das primeiras evidências sobre a real proporção de pessoas infectadas pelo coronavírus, a velocidade de avanço do contágio e letalidade da doença – tão importantes para a elaboração de estratégias de saúde pública baseada em evidências”.

O projeto Epicovid-BR tem aprovação da Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep), oficializada sob o número CAEE 30721520.7.1001.5313.

Todos os requisitos éticos e de segurança são cumpridos, incluindo o uso de equipamentos de proteção individual, a inclusão apenas de entrevistadores com teste negativo para anticorpos do coronavírus e instruções para o descarte dos materiais, conforme as melhores práticas recomendadas pelo Ministério da Saúde.

O secretário municipal de Saúde de Marília, Cássio Luiz Pinto Júnior, destacou que em todas as outras etapas a Secretaria de Saúde foi informada sobre realização e o posterior resultado das pesquisas.

“Ficamos felizes com os resultados apresentados nas três primeiras etapas e isto significa que as ações desenvolvidas na prevenção estão no caminho certo. Reforço aqui a necessidade do apoio da população nesta prevenção. Para isso todas as regras estabelecidas devem ser cumpridas, como só sair de casa se for estritamente necessário, sempre usar máscara, manter o distanciamento social e manter a higienização das mãos”, afirmou o secretário.

AS VISITAS EM MARÍLIA

Todos os profissionais desta pesquisa no entanto receberam treinamento para aplicação dos testes e estarão devidamente identificados e usando equipamentos de segurança.

Eles também receberam orientações necessárias para tomar todos os cuidados para segurança da saúde dos testados e deles mesmo.

O morador da casa que for participar do estudo é sorteado, deverá assinar um termo de consentimento para participar da pesquisa, responder um questionário e na sequência é aplicado o teste rápido para o Coronavírus.

As casas que receberão as visitas dos pesquisadores são selecionadas seguindo critérios estatísticos.

Os testes são feitos com a coleta de uma gota de sangue da ponta do dedo, colocado no aparelho de teste rápido, que analisará a amostra e, em poucos minutos, dá o resultado.

O teste rápido no entanto detecta a presença de anticorpos, que são as defesas que o organismo produz contra o vírus somente depois de sete a dez dias do momento do contágio.

Antes desse período, o resultado do teste pode ser negativo mesmo que a pessoa tenha tido contato com o vírus.

Os principais sintomas da Covid-19 são: febre, tosse, fadiga e dor muscular, falta de ar e dor de cabeça.

Por fim leia mais O Mariliense

Fonte: Comunicação PMM