Prefeitura encaminha ao Cades o Plano de Mata Atlântica e Cerrado do município

Nesta semana em que o Governo Estadual anunciou o ranking dos municípios que preservam a Mata Atlântica em seu território e Marília destacou-se entre as cidades consideradas com vegetação ideal para boa qualidade de vida, a Prefeitura de Marília, através do Interlocutor do Programa Município Verde Azul e Chefe do Meio Ambiente, Cassiano Rodrigues Leite, encaminhou ao Cades (Conselho Municipal do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável) o Plano de Mata Atlântica e Cerrado do Município para análise e parecer do órgão sobre o tema.

O Plano de Mata Atlântica e Cerrado do município, que tem por objetivo identificar e catalogar as espécies nativas existentes na cidade, bem como demonstrar os locais que ainda possuem a mata original e pontos que necessitem de melhorias na arborização em áreas de preservação permanente e áreas verdes.

Segundo o Chefe do Meio Ambiente da Secretaria Municipal do Meio Ambiente e Limpeza Pública, Cassiano Rodrigues Leite, a elaboração do Plano de Mata Atlântica e Cerrado tem por objetivo atender à Diretiva Biodiversidade do PMVA (Programa Município Verde Azul) e a participação do Conselho é fundamental para a pontuação neste quesito.

“Uma das exigências do PMVA é a participação ativa do Conselho Ambiental do município. Todas as diretivas devem ser apresentadas aos conselheiros, e algumas delas precisam ser analisadas e ter aprovação do Cades, como esta, por exemplo”, disse o chefe do Meio Ambiente.

Cassiano lembrou ainda que outras diretivas já passaram pela análise do Conselho e foram discutidas e aprovadas em reuniões. “Tivemos o Plano de Arborização Urbana e Legislação que obriga a municipalidade a construir promovendo a sustentabilidade, através do uso de materiais que evitem a degradação do meio ambiente, ou que reduzam consumos de água e energia.”

O prefeito Daniel Alonso destacou a importância do Cades nas ações ambientais e considera o órgão essencial para o desenvolvimento sustentável no município.

“O Conselho Ambiental tem nos dado o equilíbrio para desenvolver ações que promovam a sustentabilidade em Marília. É formado por pessoas de diversos segmentos profissionais e classes, que atuam em benefício do desenvolvimento sustentável, orientando sobre os cuidados necessários e pontos a serem melhorados na cidade. A participação do Cades no Programa Município Verde Azul demonstra a preocupação e participação ativa dos conselheiros atuando em defesa do meio ambiente. Quando somamos o poder público com organizações que realmente desejam ajudar a cidade, os resultados surgem e o município é amplamente favorecido”, afirmou o chefe do Executivo.

Dia 21 de agosto o Conselho do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável realizará uma reunião virtual para analisar e dar parecer sobre este Plano de Mata Atlântica e Cerrado apresentado.

Por fim leia mais O Mariliense

Fonte: Comunicação PMM