Josi Lino entrevistou grande parte dos profissionais de Eventos que fizeram um protesto pacífico na última semana.

Além que requerer o direito de trabalhar, esses profissionais também destacam o total conhecimento do seu público nos eventos realizados por eles, ao contrário de outros setores que já reabriram.

O número de pessoas afetadas com a paralisação a mais de quatro meses deste setor está deixando de faturar milhões para a cidade e deixando milhares de pessoas sem seu ganha pão.

Por fim leia mais O Mariliense