Bottas vence o GP da Rússia após punição de Hamilton

Neste domingo tivemos o décimo grande prêmio da F1 em 2020, o GP da Rússia foi decidido após o “VAR” da categoria resolver punir o Pole Position Hamilton com 10 segundos por treinar largada em “local proibido” duas vezes  antes da corrida.

Os diretores de prova também puniram outros pilotos, sempre sem dar nenhuma advertência antes e mudando totalmente o resultado final da corrida. Será que isso vai deixar a categoria mais desejada de automobilismo perder a graça como está acontecendo no futebol? Já está complicado a falta de competitividade para o pódio com raras exceções após acidentes, poderá afastar ainda mais a grande massa da F1, principalmente com a falta de um piloto brasileiro na categoria.

Bottas após vencer desabafa no rádio e manda os críticos ao seu trabalho tomar um bom suco de uva. Max em segundo falou que é muito bom estar ali no pódio principalmente pelo fato da Mercedes ser muito superior as outras equipes. Pensando nisso não vimos tanta superioridade assim neste grande prêmio da Rússia ou a equipe poupou muito os motores ou não está tão diferente assim da Red Bull Racing, pois Max chegou muito perto.

O Mexicano Perez chegou em quarto com a Racing Point, e Ricciardo da Renault em quinto, já a vergonhosa Ferrari chegou em sexto com Leclerc fazendo o possível. Ocon, Kuyat, Gasly e Albon fecha os 10 primeiros.

Rumores dão conta que Perez poderá ir para a RBR no lugar de Albon, tirando a chance de Gasly voltar ao time principal. Mick Shumacher provavelmente deve estrear na Alfa Romeo (segunda equipe da Ferrari) e dar início ao retorno de um grande nome à F1. Se o Kimi renovar também com a Alfa Romeo e o filho do Shumacher subir para a categoria, será uma grande oportunidade para o jovem aprender com o campeão mundial.

 A Williams parece que melhorou um pouco de reta uma corrida após a venda da equipe, mesmo assim ficaram em ultimo e ante penúltimo sendo separados somente pela também horrível Haas, equipe que se Perez não fechar com a RBR provavelmente aceitará o patrocínio do mexicano que não é pouca grana.

Daqui quinze dias nós vamos acompanhar mais um GP que tem história e que volta nesta temporada maluca em meio a pandemia, e possibilitará ao Hamilton se igualar ao Shumi em número de vitórias na casa do ídolo da Ferrari. Vamos esperar que o “VAR” da F1 não acabe com as próximas corridas.

 

Por fim leia mais O Mariliense