O que restou do Debate à prefeitura na Tv Aberta ?

Para resumir o Debate temos que no mínimo procurar algum “Debate”, pois o que vimos e todas as regiões de Marília, Pres. Prudente, Bauru, Araçatuba e São José do Rio Preto viram foi uma grande tragédia.

Esperávamos que os candidatos e a candidata presentes trouxessem o mínimo de projetos futuros para nossa cidade, e o que vimos foi um grande “Rio”, com todo mundo lavando roupa suja. E a cidade? e as propostas ? Nada ? Tudo o que foi falado já era sabido, e o que era sabido nem precisaria ser dito.

O evidente jogo de esconder-se do embate também ficou nítido, só saindo faíscas quando o Candidato Juliano da Campestre (PRTB) resolveu fazer perguntas mais quentes, porém ele não teve perguntas direcionadas a si nenhuma vez, será que ninguém tinha nenhuma dúvida sobre as suas propostas ou estavam somente interessados em continuar lavando a roupa suja com o Ex. Prefeito Camarinha (PODEMOS) e o atual prefeito Daniel Alonso (PSDB)?

O nervosismo dos novos candidatos(a) era evidente para o telespectador, e por muitas vezes os candidatos(a) perderam a oportunidade de mostrar o outro lado da moeda, sem brigas e guerrinhas politiqueiras, mostrando propostas para uma cidade melhor.

Também ficou evidente que a direção do debate queria que o embate fosse feito, pois tiveram 5 pedidos de direito de respostas, todos negados.

Camarinha perdeu a chance de perguntar à Daniel; Daniel perdeu a chance de perguntar à Juliano e Juliano perguntou duas vezes, uma para cada um. Marcos Kohlmann (PSL) perdia o time e o Adão Brito (PDT) esquecera por vezes que também é candidato e por muitas vezes parecia um eleitor comum. Nayara Mazini (PSOL) propunha por muitas vezes a troca de ideias, porém faltava-lhe tempo, o um minuto de resposta e os 45 segundos de tréplica pareciam pouco tempo para ela. Professor Juvenal (PT) defendeu os professores mas não os parabenizou pelo seu dia, e não trouxe soluções para os problemas do cotidiano do mariliense.

Daniel se manteve em cima das suas propostas, e por muitas vezes ficou preso ao tratamento de esgoto, parecendo ser sua marca obra relevante. Camarinha trouxe um histórico de obras feitas a quase vinte anos atrás, sem novidade. Juliano agitou, agitou e também não mostrou como tudo será feito, se eleito. 

Que sensação terrível saber que os candidatos foram ao debate para jogar para suas torcidas e bases eleitorais e ver posteriormente que eles mesmos se intitularam vencedores de um debate que não aconteceu. Quem resolveu dormir antes pode ficar tranquilos não teve nada de novo, e o que seria oportunidade de muitos falarem de si mesmos e suas propostas, resolveram falar do erro dos outros.

O que será que o candidato Capitão Eliton (PV) e Lilian Miranda (PCO) teriam dito se pudessem participar? Será que teriam se saído melhor que os presentes? Será que a população ficou satisfeita? Será que não merecíamos um pouco de respeito? Perguntas que ficaremos sem respostas, ou seria melhor ir atrás delas para nós?!

 

Escrito por Athos Guerra

Por fim, leia mais O Mariliense