Prefeitura aumenta em mais de 36% os repasses para entidades assistenciais durante pandemia

A Prefeitura de Marília não deixou as entidades assistenciais do município desamparadas durante a pandemia do novo coronavírus. Muito pelo contrário. No decorrer de 2020 houve um aumento de 36,6% no volume de repasses financeiros para o setor por meio de subvenções.

Entre janeiro e dezembro do ano passado foi repassado o equivalente a R$ 6,8 milhões para 26 entidades assistenciais. Trata-se de um aumento de R$ 1,8 milhão na comparação com 2019, quando R$ 5 milhões foram distribuídos desta forma.

Parte do recurso é oriundo de socorros federais e estaduais, mas verbas próprias do município também ajudaram a compor os empenhos.

Os dados sobre o assunto dados são públicos e estão disponíveis no Portal da Transparência da Prefeitura.

O chamado terceiro setor, formado por entidades não governamentais, sofreu um impacto importante em decorrência do novo coronavírus.

A quantidade de doações caiu no caso de muitas instituições, que precisam do apoio da sociedade para manter suas atividades sócio-assistenciais.

Para dificultar a situação, houve aumento na demanda em relação aos serviços oferecidos por elas, como consequência da crise financeira provocada pela disseminação do vírus.

O volume repassado pela Prefeitura de Marília para entidades assistenciais por meio de subvenção no ano passado é um dos maiores desde o início da série histórica, com dados disponíveis no canal oficial de informações públicas municipais.

O valor médio de passe foi de R$ 500 mil, com 13 entidades marilienses recebendo mais de R$ 100 mil em subvenção no decorrer de 2020.

Foram atendidas entidades que atuam em várias frentes, com diferentes grupos sociais, desde pessoas com necessidades especiais, asilos, centros comunitários, apoio à criança e adolescente, dependentes químicos, auxílio a pacientes com câncer e outras doenças, população socialmente vulnerável, entre outros.

ENTIDADES

A entidade assistencial que mais recebeu recursos na forma de subvenção da Prefeitura durante o ano passado foi a Apae (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais) de Marília, mais de R$ 2 milhões. Em 2019, para comparação, as subvenções ficaram na casa de R$ 1,7 milhão para a mesma entidade.

A Apae Marília oferece ensino infantil, fundamental, programa pedagógico específico para alunos de 15 a 30 anos, além de educação especial para o trabalho.

Na área da saúde, a entidade conta com o Centro de Atendimento à Saúde (CAS), composto pelo Centro de Habilitação Infantil (CHI) e o Centro de Atendimento e Assessoria Interdisciplinar (CAAI).
Na área da Assistência Social, a Apae mantém serviços de proteção social básica e também especial de média complexidade.

Também estão entre as entidades que mais receberam subvenções no ano passado a Associação de Pais e Amigos do Autista – Espaço Potencial Marília (R$ 1,2 milhão), Associação Filantrópica de Marília (R$ 525 mil), Fundação Mansão Ismael (R$ 350 mil), Lar São Vicente de Paula (R$ 350 mil), Associação Casa do Caminho (R$ 314 mil) e Centro Comunitário São Judas Tadeu (R$ 309 mil).

Entre as entidades que receberam mais de R$ 100 mil e menos de R$ 300 mil em subvenção estão Cacam – Centro de Apoio à Criança e Adolescente de Marília (R$ 278 mil), Amei – Associação Mariliense de Esportes Inclusivos (R$ 216 mil), Associação de Recuperação de Dependentes Químicos (R$ 170 mil), Fumares – Fundação Mariliense de Recuperação Social (R$ 159 mil), Adevimari – Associação dos Deficientes Visuais de Marília (106 mil), além da Sociedade Beneficente e Filosófica Ordem Principio e Luz de Marília (R$ 106 mil).

Por fim leia mais O Mariliense

Fonte: Comunicação PMM