Thiago Braz conquista bronze no salto com vara

Campeão olímpico na Rio 2016, o paulista Thiago Braz conquistou nesta terça-feira (3) medalha de bronze na prova de salto com vara na Olimpíada de Tóquio. O atleta de 27 anos obteve como melhor salto 5,87m. A disputa aconteceu no Estádio Olímpico de Tóquio, na capital Tóquio.

Inicialmente, Thiago superou a marca de 5,55m. Em seguida, o sarrafo subiu para 5,70m e 5,80m, até chegar aos 5,87m, superando 5,82m que havia sido o melhor salto na temporada. O paulista foi eliminado na luta pelo ouro quando o sarrafo chegou em 5,92m, pois não foi possível ultrapassá-lo.

O sueco Armand Duplants levou a medalha de ouro, fixando os 6,02m. E o norte-americano Christopher Nilsen ficou com 5,97m.

Esta foi a segunda medalha conquistada pelo atletismo brasileiro em Tóquio. A primeira ficou no peito do paulista Alison dos Santos, na prova de 400 metros com barreiras. Ele atingiu a marca de 46s72.

Seleção de Futebol Masculina vai para a final

O sonho do bicampeonato continua vivo. A seleção brasileira de futebol masculino se classificou na manhã deste terça-feira (3) para a final da Olimpíada de Toquio (Japão) após derrotar o México nos pênaltis por 4 a 1, já que o placar de 0 a 0 permaneceu até o final da prorrogação. O confronto foi realizado no estádio Ibaraki Kashima, na cidade de Kashima. O  adversário brasileiro na final será a Espanha que derrotou o Japão na prorrogação por 1 a 0. A briga pelo ouro será no sábado (7), às 8h30 (horário de Brasília). 

Os brasileiros Daniel Alves, Gabriel Martinelli, Bruno Guimarães e Reinier converteram suas batidas, assim como o volante mexicano Carlos Rodrígues. Já Eduardo Aguirre e Vásquez desperdiçaram as finalizações.

Esta é a quinta final olímpica da seleção brasileira de futebol masculino. Em três oportunidades ficou com a prata: em Los Angeles 1984 (contra a França), Seul 1988 (diante da União Soviética) e em Londres 2012 (contra o México). Já na Rio 2016, o Brasil ficou com a medalha de ouro contra a Alemanha, no Maracanã.

Jogo

O Brasil dominou o jogo em grande parte do primeiro tempo. Mas a primeira oportunidade foi dos mexicanos. Aos 8 minutos, após cobrança de escanteio, Henry Martín cabeceou à direita do goleiro Santos. Cinco minutos depois, aos 13, foi a vez da equipe comandada por André Jardine responder em chute cruzado do lateral-esquerdo Guilherme Arana.

Aos 22, o capitão Daniel Alves cobrou falta forte, provocando defesa do goleiro Ochoa. De tanto pressionar, o árbitro Gerogi Kabakov (Bulgária) marcou pênalti aos 27, quando Douglas Luiz foi derrubado por Esquível. Entretanto, o juiz consultou o árbitro de vídeo e voltou atrás na decisão, cancelando a penalidade.

Restando cinco minutos para o intervalo, os mexicanos cresceram na partida e quase abriram o placar. Aos 41, em contra-ataque, Romo recebeu dentro da área e chutou forte, obrigando difícil defesa de Santos.

No segundo tempo, com menos um minuto de bola rolando,  Martín finalizou forte, de longa distância. Uma bola  venenosa, mas Santos, atento, conseguiu realizar a defesa. Aos 20, Antony, do Brasil, chutou rasteiro no canto direito de Ochoa, desta vez faltou força para dificultar a vida do goleiro.

O lance mais perigoso do confronto saiu aos 36 em uma cabeçada do atacante Richarlison na trave direita do México. Se a bola entrasse, poderia ter sido o gol do acesso à final dos Jogos Olímpicos.

Outros resultados do atletismo brasileiro

No arremesso de peso, o catarinense Darlan Romani conquistou nesta terça-feira (3) vaga na final na Olimpíada de Tóquio. Ele arremessou a 21,31m, 11 centímetros a mais que o necessário para avançar na competição. O atleta de 30 anos ficou com o segundo melhor desempenho da classificatória do Grupo A.

Darlan Romani avança às finais
Darlan Romani avança às finais – REUTERS/Dylan Martinez

A prova final será realizada nesta sexta-feira (6) às11h05 (horário de Brasília), no Estádio Olímpico de Tóquio. Romani é o recordista sul-americano no arremesso do peso e ocupa a 11° colocação do ranking mundial da história da modalidade esportiva.

Na prova de 110 metros com barreira, na quarta bateria, o mineiro Rafael Pereira conseguiu avançar às semifinais. Apenas os quatro primeiros colocados seguiam na corrida pelo pódio e o brasileiro ficou na terceira posição, com o tempo de 13s46. Ele vai concorrer às semifinais ainda nesta terça-feira, ás 23h16 (horário de Brasília).

Já o brasileiro Eduardo de Deus não conseguiu ir adiante. O paulista, de 25 anos, foi o oitavo colocado na bateria 5, com o tempo de 13s18. O mesmo aconteceu com o carioca Gabriel Constantino, que foi o quinto colocado na bateria 1. Constantino alcançou o tempo de 13s55.

 

Por fim, leia mais O Mariliense

Fonte: Agencia Brasil

Compartilhe a leitura