Arborização Urbana será tema principal na Educação Ambiental durante o mês de setembro

A Comissão de Educação Ambiental do município, em sua primeira reunião, elencou as datas para ações a serem desenvolvidas durante o segundo semestre, tendo escolhido setembro para divulgação sobre a arborização urbana.

Cassiano Rodrigues Leite, Chefe da Divisão do Meio Ambiente, destaca a importância da comissão e a escolha do mês de setembro para promover o tema sobre arborização urbana no município:

“Com o retorno das aulas, poderemos realizar atividades com os alunos, plantando e orientando sobre a importância das árvores em nossas vidas. Muito além de nos fazer sombras, as árvores produzem oxigênio, sequestram o gás carbônico expelido pelos automóveis, abrigam pássaros e insetos, produzem a evapotranspiração, melhorando a qualidade do ar, dentre outros fatores que tornam as árvores importantes em nossas vidas. Quanto mais árvores plantadas, melhor a qualidade de vida nas cidades”, disse Cassiano.

Carlos Eduardo dos Santos, o Coelho da Aquaponia, coordenador do Projeto Plantas e Peixes, relata a importância da divulgação sobre o tema entre a população mariliense.

“Embora as crianças sejam o nosso futuro, não basta trabalhar apenas nas escolas. Devemos mudar a consciências de toda população, uma vez que o planeta está em seu limite, e se não agirmos imediatamente, talvez esse futuro que esperamos, fique condenado e não haja gerações futuras. Por mais assustador que nos pareça, este é um alerta dado pela ONU, que está orientando a todos os cidadãos a agirem imediatamente, realizando pequenas ações, que juntas se tornarão grandes e causarão impactos positivos ao planeta. Iniciaremos pela arborização urbana, mas mensalmente promoveremos outras ações que trabalharão temas ligados ao meio ambiente, como coleta seletiva, gestão das águas e seu uso racional, proteção de nascentes, queimadas urbanas, e demais itens que promovam a sustentabilidade em nosso município”, afirmou o coordenador.

Para setembro, a agenda ambiental prevê coleta de sementes, produção de mudas, plantios, ações práticas e teóricas nas escolas, envolvimentos com empresas, doações de mudas para todos os cidadãos que desejarem plantar árvores, reflorestamento de áreas verdes e proteção de nascentes.

Já com relação aos demais meses, os temas abordados serão: Outubro – Preservação da Fauna; Novembro – Biodiversidade; e Dezembro – Consciência Ecológica.

A partir de janeiro, novo cronograma será definido pela Comissão de Educação Ambiental para o desenvolvimento ao longo de 2022.

 

Por fim, leia mais O Mariliense

Compartilhe a leitura