Por atos de vandalismo e descarte incorreto de materiais, Prefeitura retira ecopontos de dois bairros da cidade

A Prefeitura de Marília e a ONG Eco Estação retirou na última semana os Ecopontos do Jardim Cavallari, na zona oeste, e do Jardim Aeroporto, zona leste da cidade. A medida foi tomada por conta de atos de vandalismo, furtos e descarte irregular de materiais desde o início da instalação dos pontos.

Dentre os principais atos de vandalismo, como violação de cadeados e trancas, as equipes constataram ainda o furto de algumas peças da estrutura do ecoponto. O mau uso por parte da população, como o descarte de materiais que não são recolhidos pela equipe, também motivou a retirada.

“Toda semana, portas arrombadas, lixo doméstico jogado no Ecoponto, inclusive fraldas e absorventes. Muitos objetos não recicláveis, como armários desmontados, vasos sanitários, pias quebradas, travesseiros, dentre outros itens, semanalmente retirados”, disse o chefe do Meio Ambiente, Cassiano Rodrigues Leite.

“Todo projeto é investimento de uma família de catadores. A Prefeitura apenas cede o espaço público. Os coletores arcam com os consertos e com a manutenção do próprio bolso. Acharam melhor levar para outro bairro, onde a população esteja querendo a coleta seletiva”, completa Cassiano.

ONDE DESCARTAR MATERIAIS INSERVÍVEIS?

Um dos locais que recebe o descarte de inservíveis e qualquer tipo de material que não serve mais para o morador é o Ecoponto Nova Marília, que está localizado na rua Joaquim Dias (ao lado do Complexo de Trânsito) na zona sul e fica aberto de segunda a sexta, das 8h às 17h.

Outra opção são os mais de 11 ecopontos que estão espalhados por todas as regiões de Marília e que recebem pequenas quantidades de metais, vidro, papel e plástico. Todos os materiais que são recolhidos desses locais passam pelo processo de reciclagem. Eles ficam abertos, 24h por dia.

EXISTE MULTA PARA QUEM DESOBEDECER E JOGAR LIXO EM TERRENOS BALDIOS

De acordo com a lei, a multa para quem joga lixo e entulhos em terrenos baldios é de R$ 561,33 – a mesma é garantida através da Lei Complementar 13/92 de 13 de janeiro de 1992. Qualquer denúncia pode ser feita através do telefone da Polícia Militar 190 ou na Prefeitura de Marília pelo fone (14) 3402-6000, no setor de Fiscalização de Posturas.

 

Por fim, leia mais O Mariliense

Compartilhe a leitura