Audiência pública debate uso da Cannabis Medicinal

Uma audiência pública sugerida pelo vereador Danilo Bigeschi (PSB), por meio de requerimento de nº 1550/2021, aconteceu nesta quarta-feira (24), na Câmara Municipal de Marília, e promoveu um debate sobre o uso da Cannabis Medicinal na cidade.

O evento contou com a presença dos vereadores Elio Ajeka (PP), Vânia Ramos (Republicanos) e Marcos Rezende (PSD), presidente do Poder Legislativo. Representantes das entidades canábicas Maria Flor e Abracamed (Associação Brasileira de Cannabis Medicinal) participaram da audiência pública.

De acordo com o coordenador jurídico da Maria Flor, Felipe Nechar, a audiência pública foi uma oportunidade para debater pontos relevantes sobre o uso do medicamento. “A discussão entra no campo do Direito Criminal. Por um lado, temos a maconha relacionada ao tráfico e repressão na sociedade e, de outro, a cannabis, que está relacionada à saúde. O acesso ao medicamento é sempre marcado por uma história de luta e sofrimento, mas os resultados têm sido positivos em tratamentos de doenças como câncer e fibromialgia. Nossa defesa é pelo fornecimento do remédio via SUS (Sistema Único de Saúde)”, argumentou.

A vice-presidente da Maria Flor, Fernanda Peixoto, também ocupou o plenário. “A associação foi fundada na cidade em 2018 por uma diretoria composta por quatro mulheres que lutam pela vida do próximo. Já contamos com 25 colaboradores e 2,5 mil pacientes associados. Por conta deste trabalho, em prol da vida e da saúde, acabei sendo presa no regime fechado por dois anos. Passados alguns anos, a legislação deu uma pequena avançada no país e agradeço à Câmara de Marília pelo espaço para expormos nossa pauta. A ciência já provou os benefícios da cannabis. Por exemplo, temos um paciente, o Mateus, que tinha 80 convulsões por dia e, hoje, após uso da planta medicinal, conseguimos sanar este sofrimento”, destacou.

 

Por fim, leia mais O Mariliense

Compartilhe a leitura