Encontro organiza atendimento aos dependentes químicos no Programa Recomeço

Os representantes das Secretarias de Direitos Humanos, Saúde, Assistência e Desenvolvimento Social, Comad (Conselho Municipal de Políticas sobre Álcool e Drogas), DRS (Departamento Regional de Saúde), Sindimmar, Comunidades Terapêuticas e Entidades, se reuniram na última segunda-feira (16), no auditório da Prefeitura Municipal, para organizar e elaborar novas metas para o estabelecimento do fluxo municipal no Programa Recomeço.

O Programa Recomeço é um projeto do Governo do Estado, que tem a finalidade de prevenir o uso de álcool e outras substâncias químicas, oferecendo acolhimento, tratamentos e reintegração dos dependentes químicos e alcóolicos na sociedade.

O Projeto vai envolver as secretarias da Saúde com exames clínicos e psiquiátricos, da Educação com orientação nas escolas, da Assistência e Desenvolvimento Social com acolhimento e de Direitos Humanos realizando a triagem.

O encontro contou com as presenças do prefeito Daniel Alonso; do vice-prefeito Cícero do Ceasa; dos secretários municipais Cássio Luiz Pinto Júnior (Saúde), Delegado Wilson Damasceno (Direitos Humanos) e Wania Lombardi (Assistência e Desenvolvimento Social); e da Assistente Técnica de Direção da DRS (Diretoria Regional de Saúde), Maria Madalena.

Estiveram presentes ainda os representantes do COMAD: Pr.Mecenas Francisco, Ana Maria Crepaldi e Luciana Ribeiro da Silva (Diretora da Fundação Casa); as Assistentes Sociais: Ilka Barbosa Ferreira, Angélica Veríssimo (CAPS AD Girassol, HC e FAMEMA), Lucas Vinícius Lourenço (Vice Presidente da Associação Colo de Mãe); a coordenadora do Centro Pop e SEAS – Patrícia Cerqueira Cesar; a coordenadora de Proteção Social e Especial (Centro Pop) – Ana Maria Camponez; Farmacêutica da Prefeitura e DRS – Luciana Isa Rodrigueiro Correa; representantes da Associação Colo de Mãe: Zeninho, Lucimar Vieira e Vagner Luiz Cetulino; a coordenadora de Proteção Social Básica do CRAS – Maria Martins; os representantes do Sindimmar: Ricardo Cardoso Flores e Vanilda Gonçalves de Lima; e a presidente da Associação Canábica Maria Flor – Caroline Marroni.

O dependente químico precisará passar por uma avaliação clínica e psiquiátrica e, após o laudo, poderá ser encaminhado para tratamento com medicamentoso em casa, comunidades terapêuticas ou clínicas de internação.

O Programa está disponível de graça para pessoas maiores de 18 anos, homens ou mulheres com problemas decorrentes do uso de substâncias psicoativas, com quadro clínico estabilizado e quadro psiquiátrico não-agudo.

 

Por fim, leia mais O Mariliense