Plataforma criada para identificar Fake News deve funcionar nas eleições

Criada para identificar informações falsas de maneira automática, a fakenewsbr.com é uma plataforma que ainda funciona de forma experimental, mas que já poderá ser utilizada para consultas por qualquer pessoa, principalmente neste ano de eleição, em que as fake news são divulgadas a todo vapor.

De acordo com o professor e coordenador do projeto, Francisco Louzada, do Centro de Matemática e Estatística Aplicada a Indústria (ceMEAI), o sistema utiliza algoritmos de inteligência artificial que identificam os padrões mais comuns usados nas notícias falsas. “Identificamos palavras, expressões e estruturas comuns em notícias falsas. O texto mentiroso costuma apelar para a emoção do leitor, é opinativo e carrega um tom de urgência. Esses padrões, junto com algumas palavras que costumam sempre aparecer em textos enganosos, são os sinais que o computador localiza e classifica”, explica.

O site estará pronto para operar de forma definitiva em menos de um mês. “Há uma expectativa de que as eleições deste ano sejam marcadas por muitas mentiras na internet. Essa ferramenta pode ajudar o brasileiro a separar as verdades das mentiras antes de tomar sua decisão”, acredita o coordenador.

Louzada explica ainda que o sistema é capaz de compreender e identificar a informação, para reconhecer as mentiras mesmo que o texto já tenha sido editado ou reescrito em outros sites.  “Mesmo os sites campeões de fake news publicam cerca de 60% de conteúdo verdadeiro, para confundir o leitor. O algoritmo analisa o texto completo e identifica as informações principais. Isso permite distinguir mentiras em qualquer notícia, mesmo quando essa fraude aparece em um pequeno trecho do texto”, detalha Louzada.

O banco de dados da plataforma foi alimentada pelos pesquisadores com mais de 7 mil notícias já verificadas e apontadas como falsas e verdadeiras. Depois, outras 99 mil notícias foram selecionadas para verificação, tudo isso para treinar a inteligência artificial da máquina. O resultado teve uma média de 96% de acerto.

Durante o XXVI Congresso Nacional de Criminalística, realizado pelo Sindicato dos Peritos Criminais do Estado de São Paulo (SINPCRESP), a plataforma foi apresentada para peritos criminais de todo o Brasil. 

Invasão de hackers

Francisco Louzada contou ainda que a ferramenta passou a ser atacada por hackers, que realizaram milhares de consultas simultâneas, por meio de robôs, como uma tentativa de sobrecarregar o servidor. Apesar de ocorrer uma lentidão, os invasores não conseguiram deixar o sistema fora do ar. “A plataforma foi hospedada em um servidor mais robusto e seguro para enfrentar o período eleitoral, ele deve ter grande demanda”, revela.

Nas redes sociais

O fakenewsbr.com foi criado para analisar notícias completas. Agora, a equipe de desenvolvedores e cientistas trabalha na análise de publicações em redes sociais e de textos curtos. “O texto mais longo traz uma informação completa, mas posts de redes sociais, além de curtos, podem ter palavras abreviadas. Também encontramos postagens com textos completamente verdadeiros, mas que indicam links para notícias falsas. Em alguns meses essa verificação também estará disponível”, completa o especialista.

 

Por fim, leia mais O Mariliense