Réplicas de dinossauros se tornam atração turística no centro de Marília

As duas réplicas, que vão fazer parte do novo Museu de Paleontologia e que chegaram a Marília no último sábado (2) pela manhã, tornaram-se atrações turísticas no final de semana, atraindo um grande número de pessoas, principalmente crianças.

A réplica do Dino Titã, que está na área externa do museu, tem 3,90m de altura por 12m de comprimento, pesa quase 1.000 kg e demorou 120 dias para ser confeccionada. Já a réplica do Abelissauro tem 1,80m de altura por 4m de comprimento e ficará dentro do Museu.

As esculturas foram confeccionadas pelo paleoartista Anilson Borges dos Santos, que permanece em Marília, trabalhando na montagem do restante da estrutura.

O prefeito Daniel Alonso destacou a importância das réplicas para a cidade e do novo Museu de Paleontologia. “Trata-se de um resgate da histórica jurássica da nossa cidade. Foi uma grande conquista e que vai trazer muitos benefícios de agora em diante para Marília, elevando o potencial turístico de nossa cidade, que já conquistou o título de MIT (Município de Interesse Turístico). E vamos entregar o novo Museu de Paleontologia no mês de agosto, o que será outra atração turística para todos.”

O chefe do Executivo lembrou que a reforma do Museu (que inclui as réplicas) é recurso carimbado do Estado, destinado ao turismo (por lei). Ou seja, não é dinheiro que o prefeito poderia destinar à educação ou saúde, por exemplo.

“Se Marília não captasse o recurso, através de projeto, esse valor seria destinado a outro município, para o turismo. A política do Estado de São Paulo para o turismo inclui estâncias e municípios de interesse turístico, com dotação orçamentária própria. Não estamos retirando recursos de nenhum outro setor, esse recurso é carimbado como a gente diz e, nesse caso, para o turismo. Estamos felizes que a nossa gestão foi eficaz e conseguiu trazer as réplicas para Marília, que é referência paleontológica no Brasil”, afirmou Daniel Alonso.

O secretário municipal do Trabalho, Turismo e Desenvolvimento Econômico, Nelson Mora, lembrou que o recurso foi conquistado por Marília. “Fizemos tudo com recursos conquistados por nós e que estão à disposição de qualquer município. A diferença é que no passado nenhum prefeito teve essa sensibilidade cultural, nem elaborou projetos, e por isso perdíamos oportunidades, enquanto outras cidades aproveitavam. O prefeito Daniel acreditou no potencial turístico de Marília, obtivemos o MIT e trabalhamos bastante, porque sabemos que o turismo é o maior gerador de empregos e renda do mundo.”

 

Por fim, leia mais O Mariliense