Vendas em lojas de shopping no inverno devem crescer 7% em 2022

Mesmo que o inverno de 2022 não pareça ser tão rigoroso, até agora, a movimentação do comércio de shopping está mais alta do que o esperado. O movimento de pessoas já cresceu 15% em relação ao mesmo período do ano passado, segundo um levantamento da ALSHOP (Associação de Lojistas deShopping) que tem pouco mais de 40.000 associados no país.

“A recuperação de público já era esperada até mesmo em função do fim das restrições impostas pela pandemia e, agora, com as férias escolares e a retomada das áreas de lazer e exposições nos shoppings, mas notamos maior público nos shoppings, uma recuperação mais forte das áreas de alimentação e mesmo com a inflação um consumo mais forte”, explica Luís Augusto Ildefonso, diretor de relações Institucionais da ALSHOP. 

A movimentação no comércio como um todo deve representar uma venda de R$ 13,76 bilhões entre maio e agosto, de acordo com a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo – CNC. 

Além da volta das áreas de lazer e exposições, as férias escolares e a temporada de inverno levam mais clientes aos shoppings em busca de promoções. O inverno começou oficialmente em 21 de junho e mesmo com preços mais altos e uma temporada menos rigorosa em temperatura, as vendas vêm crescendo. “Por ser uma estação curta, o inverno faz com que muitos lojistas coloquem em promoções mercadorias com preços convidativos de produtos novos e, também, de peças remanescentes do inverno do ano passado. Essa estratégia ajuda os vendedores a trazerem mais consumidores para dentro das lojas, assim vendendo ainda mais”, completa Ildefonso. 

Segundo o levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE, que tem como base a Pesquisa Mensal de Comércio – PMC e a Pesquisa Mensal de

Serviços – PMS, as vendas durante o inverno geralmente registram um acréscimo médio de até 9,2% na comparação com as estações da primavera e outono. 

“Muitos produtos são ofertados com descontos atrativos e praticamente a temporada de vendas já se inicia com liquidações. Se o período de dias com temperaturas baixas se prolongar, o comerciante pode manter os preços cheios elevando sua receita. Caso tenhamos alternância de dias frios com dias mais quentes os preços terão descontos ainda maiores”, ressalta Ildefonso. 

Desafios e empregabilidade até o fim do ano 

Apesar dos bons números, os desafios da economia seguem no radar dos lojistas de shopping que enfrentam dificuldades com a logística de alguns produtos, a inflação impulsionada pela alta recente dos combustíveis e do dólar que segue em um patamar acima dos R$ 5.

 

Por fim, leia mais O Mariliense