Importância do Sexo, Orgasmo e da Masturbação para a saúde mental

Vários são os impactos psicológicos causados pela aceleração da vida, na mente humana. As muitas mudanças de rotinas, cobranças, tensões e correria do dia-a-dia geram muitas angústias que têm afetado e alterado ainda mais os nossos hábitos. Surge, então a necessidade da busca e descoberta de novas formas de se relacionar e de praticar atividades sexuais seguras.

A sexualidade é uma fonte de prazer de extrema importância para a humanidade. O alívio das tensões se dá, pois, o orgasmo é uma espécie de descarga que libera substâncias como a endorfina, serotonina, dopamina e ocitocina. Cada uma delas provoca estímulos diferentes em nosso corpo proporcionando diversos benefícios.

Estimulado, o cérebro reage com sensações de bem-estar, de conforto, melhoria do estado de humor, através de uma elevada produção hormonal e, consequentemente, alcançando o tão desejado relaxamento e trazendo o alívio da tensão causada pela quarentena. Além disso, podemos perceber uma melhora no poder de movimento, na atenção e na memória.

Ganhos psíquicos adquiridos através do sexo que também contribuem para a ampliação da visão, da audição e do aumento das células de defesa, auxiliando assim, o aumento da imunidade.

A exploração do prazer individual ajuda a aliviar a tensão momentânea, uma vez que a energia sexual exercida sem culpa e sem tabus, contribui para uma mudança crescente de nossa visão da intimidade. A materialização dos desejos e fantasias através da utilização de ferramentas tecnológicas ou da descoberta individual de seu corpo e de suas sensações, como o sexo virtual por exemplo, não apresenta qualquer contra indicação. Mas devemos ter a plena consciência de que nada supera o calor e o contato humano.

Além disso, o sexo virtual requer precaução e segurança no ambiente da internet.  Durante e após a pandemia, este tipo de sexual, motivado pela restrição dos contatos, tornou-se ainda mais procurado. Tanto que a OMS classifica a masturbação e o sexo on line como sendo os mais seguros possíveis dentro da realidade que estamos vivendo. São opções que descomplicam a forma de se relacionar à distância.

Ajudando a não surtar, aumentando a autoestima e estimulam o autoconhecimento do corpo e de suas emoções. Mas, não se pode transformar esse prazer solitário em sua forma única de relacionamento, eliminando a possibilidade de se obter prazer através do contato físico com o outro. É muito importante não substituir 100% o contato real pelo virtual. Além disso, a prática compulsiva não é recomendada e devemos estar atentos ao fato de que todo e qualquer tipo de excesso pode ser prejudicial.

Portanto, a busca pelo relaxamento e a descarga da tensão são essenciais para aliviar o estresse, a angústia, as frustrações e as incertezas cotidianas. Liberte-se dos tabus e permita-se sentir desejo. Desejar e se sentir desejado, sem culpa. Explore fantasias e entenda o sexo, a masturbação e o orgasmo como um mecanismo de auxílio de seu bem estar e de sua satisfação. Elimine os preconceitos. Masturbe-se ou faça sexo virtual, com consciência, cautela e responsabilidade. Descobrindo assim, novas maneiras de vivência do prazer íntimo e pessoal.

TEXTO: Dra. Andréa Ladislau   /  Psicanalista

 

Por fim, leia mais O Mariliense