Pagou Fácil da Paschoalotto e parceiros promovem projeto de Educação Financeira para alunos do ensino fundamental

Segundo a Associação de Educação Financeira do Brasil – AEF, 45% dos jovens entre 18 a 24 anos não sabem como administrar suas finanças e acabam caindo na inadimplência. Muitas vezes, essa falta de planejamento financeiro é adquirida desde a infância, causando um círculo vicioso nas gerações futuras, trazendo famílias endividadas e com suas vidas comprometidas em trabalharem apenas para pagarem contas e juros.

Como forma de proporcionar às crianças e adolescentes aprenderem a lidar com questões financeiras e de economia doméstica, juntamente com as demais disciplinas curriculares da escola, a plataforma Pagou Fácil da Paschoalotto lança o Projeto de Educação Financeira.

Promovido em parceria com o Procon de Marília, Sebrae e CPFL, o Projeto será desenvolvido de 22 a 26 de agosto na Escola Estadual Professor Gabriel Monteiro da Silva, durante o contra turno escolar. Ação conta também com o apoio da Prefeitura de Marília, Escola Gabriel Monteiro da Silva e Diretoria de Ensino Marília.

Durante o Projeto serão apresentados, de forma gratuita aos alunos do 7º ano do ensino fundamental, métodos assertivos e lúdicos para que os mesmos aprendam que o dinheiro não pode ser gasto sem planejamento e disciplina, o que pode começar dentro de casa com soluções simples de economia. Projeto também prevê questões de cunho empreendedor para estimular e mostrar aos alunos a importância de pensar no futuro.

“Percebemos a importância de levar esse tema às escolas como forma de contribuir com que as crianças e os adolescentes, ao chegarem na vida adulta, consigam lidar com as finanças pessoais, bem como auxiliar os membros de sua família a terem uma vida mais estável e tranquila”, ressalta Eric Garmes, vice-presidente da Paschoalotto.

Guilherme Moraes, diretor do Procon Marília, destacou a participação no projeto. “Para nós foi um grande prazer conceber e, junto com grandes parceiros, desenvolver um projeto de tamanha relevância como esse. Garantir um conhecimento financeiro é essencial para todos, mas ter a oportunidade desde o período escolar é um diferencial para crianças e adolescentes apresentarem mais consciência e criarem uma boa relação com o dinheiro”, diz.

Carlos Eduardo Camargo, gerente de relacionamento poder público e grandes clientes da CPFL destacou a satisfação com que recebeu o convite para participar de um projeto tão relevante para a sociedade. “Queremos demonstrar aos alunos que economizar pode começar dentro de casa, com atitudes simples que podem ser replicadas na comunidade, reforçando dicas de segurança com relação aos cuidados com a energia elétrica, consumo consciente e sustentável. Além do ganho financeiro para o consumidor, a economia no consumo de energia também beneficia o meio ambiente e reduz os impactos ao nosso futuro”, destaca.

Natali Conrado Jorge, analista de negócios sênior do Sebrae Marília, destaca que o projeto de Educação Financeira vai ao encontro de um dos pilares do Sebrae em promover a educação empreendedora nas escolas. “Buscamos incentivar o protagonismo juvenil por meio de uma postura empreendedora ou da criação de negócios próprios. Com a realização desse projeto, será possível levar aos alunos os primeiros passos rumo ao sucesso em sua vida profissional futura, bem como o incentivo para sua família”, diz.

Nayara Anzolin, head de marketing da Paschoalotto, aproveitou a oportunidade para agradecer todos os parceiros envolvidos. “Sem a efetiva contribuição de nossos parceiros, esse projeto não seria possível. Procuramos dar ferramentas para que os alunos possam perceber a importância de que o planejamento financeiro contribui para o desenvolvimento de comportamentos que podem fazer a diferença em seu futuro e de suas famílias ao tomar decisões acertadas sobre finanças e consumo”, finaliza.

Expansão

A proposta é que, após a realização na Escola Gabriel Monteiro da Silva, o projeto de educação financeira também seja aplicado nas escolas municipais de Marília, ofertando aos alunos e seus familiares o desenvolvimento de uma relação equilibrada com o dinheiro.

“A educação financeira não deve ser uma barreira e sim uma aliada que facilita o dia a dia, trazendo mais tranquilidade na tomada de decisão no âmbito familiar. Com a ampliação desse projeto para as escolas municipais, teremos a oportunidade de oferecer para um número maior de alunos, mecanismos para que se organizem e reflitam sobre como o gasto consciente pode impactar positivamente toda sua família”, destaca Garmes.

“Para nós será uma grande honra participar de um projeto com tamanha relevância. Com a ampliação desse projeto também para as escolas de nosso município, poderemos contribuir para que a população aprenda a usar o dinheiro com inteligência. Ao invés de trabalhar somente para comprar ou pagar contas, será possível que as famílias marilienses aprendam a economizar e gastar seu dinheiro de forma consciente”, ressalta Daniel Alonso, prefeito de Marília.

Por fim, leia mais O Mariliense