Carlos Rosa de Pompeia é campeão de Barretos na modalidade Bareback

Pompeia foi mais uma vez lembrada e reverenciada como celeiro de grandes campeões no maior rodeio do país, encerrado no domingo, em Barretos. O competidor Carlos Rosa, o “Guto”, nascido e criado em Pompeia, foi o grande vencedor da categoria Bareback.

Muito tradicional nos EUA, onde é popular desde 1930, chegou ao Brasil apenas na segunda metade da década de 1990. Essa prova de montaria é considerada uma das mais radicais do rodeio. Um dos motivos é que não há sela nem estribos, só o cowboy e o cavalo. Outra característica do esporte é que o peão deve estar deitado no dorso do cavalo e sua única segurança é poder segurar em uma alça de couro que fica solta no animal. O peão deve ficar por 8 segundos em cima do cavalo e a nota é decidida baseada na técnica do competidor e na dificuldade que o animal pode trazer.

“Sempre morei em Pompeia, desde menino sonhei em ser um competidor em rodeio. Comecei a treinar em Júlio Mesquita, na Fazenda do Peter. Hoje treinamos em Barretos na Pro Horse. Para o resultado vir, a dedicação tem que ser constante, inclusive na parte física. Treino 6 vezes por semana e mesmo que não tenha rodeio, estou sempre pronto. Primeiro é sonhar, depois correr atrás e treinar duro”, comentou o campeão de Barretos.

Ele que já venceu os rodeios de Lovell e Cody Stampede nos EUA, se prepara para voltar a competir na América do Norte em breve. “Temos duas etapas da Pro Horse em Barretos em breve, depois uma competição em dezembro no Paraná e no ano que vem vamos para os EUA disputar a seleção para o rodeio The American”, acrescentou. 

Guto que já voltou para Pompeia após a vitória em Barretos espera que as conquistas ajudem a popularizar o esporte na região. “Essa modalidade é tradicional nos EUA, mas no Brasil são poucas competições de Bareback. Por isso a meninada nova não procura muito o Bareback, acabam preferindo a montaria em touros, que é mais popular. Talvez a gente consiga atrair novos adeptos para o esporte com mais competições acontecendo e na medida em que os vencedores sejam mais reconhecidos”, concluiu.

 

Por fim, leia mais O Mariliense