Pílula antirressaca será comercializada no Brasil

Uma pílula que promete ser a solução para se livrar dos sintomas incômodos no dia seguinte à ingestão de bebidas alcoólicas está prevista para ser comercializada no Brasil, nos próximos três meses. A chamada Myrkl, “pílula antirressaca” já começou a ser vendida no Reino Unido em julho e passou a despertar a curiosidades dos brasileiros.

A empresa responsável pelo desenvolvimento do comprimido é a sueca De Faire Medical e desde que começou a vendida, já está disponível para ser enviada, por meio do site oficial, a 18 países,  como Alemanha, Austrália, França e Nova Zelândia.

O comprimido é vendido no Reino Unido, por 30 libras, em uma caixa com 30 unidades, o valor equivale a cerca de 180 reais, seis reais por comprimido, não incluso o valor do frete. A dose indicada pelo fabricante é de duas pílulas antes do consumo da bebida alcoólica.

Como age a pílula antirressaca?

A Myrkl promete quebrar a molécula do álcool no intestino antes que ela chegue até o fígado, isso faz com que a metabolização da substância no órgão e na corrente sanguínea seja reduzida.

A ressaca é o surgimento de alguns sintomas como mal-estar, falta de energia, dores de cabeça e sonolência, após o consumo do álcool. Ela é causada pela quebra do álcool no fígado em dois componentes, o ácido acético e o acetaldeído, que são tóxicos para o nosso organismo. Por isso, a pílula busca quebrar o álcool antes de ele chegar ao órgão, para evitar que essas substâncias sejam liberadas.

Mas, como nem tudo são flores, o comprimido também acaba reduzindo os efeitos das bebidas alcoólicas no cérebro, então, aqueles que desejam se embriagar em busca das sensações provocadas pelo álcool, podem não gostar da novidade. Além disso, a Myrkl trabalha apenas com doses moderadas.

E funciona mesmo?

A pílula antirressaca não é um medicamento, mas sim um suplemento alimentar. Isso porque ele é composto por probióticos, bactérias consideradas boas para o intestino, além de um aminoácido chamado de cisteína para potencializar o efeito e uma dose de vitamina B12. 

A Myrkl foi testada em junho, em um estudo, publicado na revista científica Nutrition and Metabolic Insights, que acompanhou 24 participantes. Eles tomaram dois comprimidos entre uma e 12 horas antes de ingerir duas doses de destilado. Em comparação com outro grupo, que não recebeu o suplemento, foi observada uma redução de 70% do álcool no sangue uma hora após as bebidas.

 

Informações: G1

Por fim, leia mais O Mariliense