Setembro Amarelo: Veja dicas para cuidar da saúde mental no trabalho

As questões do autoconhecimento e da saúde mental têm sido cada vez mais pautadas nos últimos anos, seja em nosso ciclo social, nas redes sociais e nas empresas. A demanda por programas em prol da saúde mental do colaborador é uma necessidade atual no mercado corporativo. Uma pesquisa recente realizada pela Oracle apontou que 84% dos colaboradores brasileiros consideram que suas empresas precisam fazer mais para proteger a saúde mental dos colaboradores. 

Para Vandson Cunha, sócio e diretor da Bematize, as empresas devem estabelecer boas ações que atendam às necessidades dos colaboradores

“Após dois anos de transição para novas formas de conciliar a vida profissional e pessoal, muitas empresas passaram a priorizar o bem-estar dos colaboradores. Embora apresentem boas práticas ligadas à saúde mental  ou criação de campanhas de combate à sobrecarga do trabalho, é preciso institucionalizar uma maior flexibilidade de horários e folgas, proporcionar momentos de conexão, entre outros”,  comenta. 

Como forma de ajudar as empresas que buscam reconectar os seus colaboradores na retomada ao trabalho presencial, o especialista reuniu seis dicas que podem agregar na cultura organizacional. 

  • Ofereça benefícios

Uma das formas de motivar o colaborador é oferecer benefícios flexíveis, ou seja, a autonomia do empregado em escolher o seu próprio benefício de acordo com seu momento de vida, que se tornou comum na pandemia e vem impulsionando e motivando colaboradores “Atualmente, diversas empresas oferecem novos benefícios, como auxílio-terapia, assistência para pets, descontos em medicamentos e academias, entre outros, que podem ser combinados com benefícios mais tradicionais, como plano de saúde e auxílio-refeição, dependendo da necessidade de cada pessoa”, acrescenta. 

  • Apoie os colaboradores

De um lado, salários, benefícios e carreira têm sido fatores-chave para os colaboradores. Por outro, fatores nocivos que implicam na saúde mental, como por exemplo, desgaste emocional ou distanciamento do líder e equipe, se tornaram ameaças ao bem-estar do trabalho e podem comprometer a saúde do trabalhador. Segundo a especialista, é preciso apoiar campanhas que possam aprimorar o relacionamento no ambiente. “Faça eventos para incentivar uma maior conexão entre as pessoas, assim você mantém todos conectados. Deixe recados, envie mensagens e converse com eles. Você saberá quem precisa de apoio psicológico se tiver uma relação eficaz com o seu time”, sugere.  

  • Incentive a prática de atividades físicas 

As atividades físicas trazem benefícios para o corpo e mente, mas nem sempre todo colaborador tem tempo  para se dedicar à academia ou fazer uma caminhada. “Há diversos educadores físicos que disponibilizam serviços específicos para empresas como exercícios laborais ou recreativos. Momentos de lazer são essenciais para manter uma boa saúde mental”, comenta.

  • Treine as suas lideranças 

Um dos erros mais comuns dos gestores que podem comprometer a saúde mental do colaborador e gerar consequências para a empresa é a falta de treinamento entre lideranças para saber como agir de forma sagaz na crise organizacional.  “Esta ação precisa ser realizada periodicamente, pois sempre existirá a necessidade de atualizar os conhecimentos e integrar novos líderes”, afirma. 

  • Use a tecnologia ao seu favor 

As novas tecnologias de comunicação desencadearam mudanças na vida dos colaboradores, como o uso de aplicativos que facilitam o processo organizacional das empresas e impulsionamento da produtividade.  Segundo Cunha, as empresas não querem profissionais dependentes de seus líderes, mas sim que tenham autonomia em sua rotina. “Pessoas antenadas com a tecnologia ou sem apego a operacionalização, serão mais valorizadas no mercado corporativo”, argumenta.

  • Realize eventos voltados para a saúde mental 

Uma das formas de cuidar da saúde mental no trabalho é realizar eventos voltados para a saúde mental. De acordo com Vandson, as organizações precisam priorizar palestras e rodas de conversas entre os colaboradores e profissionais da área da saúde mental, como psicólogos e psiquiatras. “Para organizar os eventos, você pode dividir a equipe em grupos, e oferecer rodas de conversas entre aqueles que têm maior afinidade, trabalham na mesma equipe ou enfrentam os mesmos problemas. Além disso, novas tendências podem surgir no mercado. Então, atente-se aos resultados que essas iniciativas têm na sua empresa para fazer os ajustes necessários.”, finaliza.

 

Por fim, leia mais O Mariliense