Estadual Vinicius Camarinha aponta Juliano da Campestre como candidato a Deputado Federal de Marília

Com Juliano da Campestre, é a primeira vez em muitos anos que Marília tem um candidato a Deputado Federal com força e apoios suficientes para chegar a Brasília. Essa é a avaliação tanto no meio político, quanto na mídia. Dentre os políticos, Vinicius Camarinha, Deputado Estadual candidato a reeleição, foi claro ao afirmar num podcast que só vê Juliano como uma opção para Federal da cidade. Apesar das disputas municipais do passado, nesta eleição, Vinicius e Juliano não são oponentes. Vinicius concorre a Deputado Estadual e Juliano a Deputado Federal.

“Quem que nós temos aqui? Nós temos o Juliano da Campestre, que já foi candidato, que já teve uma votação interessante, um jovem, pessoa que tem vontade política, pública de fazer alguma coisa pela cidade. Vejo o Juliano e não vejo nenhuma outra pessoa, você vê?”, afirmou o Deputado Estadual Vinicius Camarinha em entrevista ao MN Entrevista.

Representatividade

No meio da Comunicação a candidatura de Juliano com grandes chances de vitória é vista com empolgação e entendida como única possibilidade, na região toda, quiçá no interior de São Paulo, de ter alguém do ramo em Brasília. O desejo por um representante em Brasília cria um movimento em prol do candidato a Federal Juliano da Campestre que é marcado por bastante entusiasmo, já que pode ser uma oportunidade que não apareça de novo tão logo.

Campanha

Juliano esteve na Santa Casa de Marília e na Gota de Leite nesta reta final de campanha. Na Santa Casa ele firmou compromisso inédito entre os candidatos até o momento: “Passei a ter como prioridade da minha agenda como Deputado Federal lutar pelo reajuste de 150% da Tabela SUS.  São quase 11 bilhões de reais por ano de defasagem entre o que essa entidade tão importante recebe e o que deveria receber para arcar com todos os custos e prestar o melhor atendimento possível. Não queremos os provedores e diretoria com o pires na mão correndo atrás de emendas, a prioridade é o reajuste do “Teto SUS”, congelado pelo governo Temer. Para ter uma ideia da dificuldade, saiba que nos últimos 5 anos, 315 dessas instituições fecharam as portas. Aqui não. Precisamos da Santa Casa de Misericórdia de Marília e das Santas Casa da região fortes e saudáveis. Meu muito obrigado ao provedor Norival Carneiro e ao Superintendente Geral Sergio Stopato Arruda pelo apoio e confiança. Vamos juntos brigar pela Saúde de Marília e região”.

 

Por fim, leia mais O Mariliense