Zema, Castro, Garcia e Moro anunciam apoio à Bolsonaro no Segundo turno

O governador reeleito de Minas Gerais, Romeu Zema, declarou hoje (4) apoio à candidatura à reeleição de Jair Bolsonaro (PL) para a Presidência. Os dois se reuniram na manhã desta terça-feira no Palácio da Alvorada, em Brasília.

“Não poderia deixar, nesse momento, de estar aqui colocando nossas divergências de lado. Eu sempre dialoguei com o presidente Bolsonaro. Sabemos que em muitas coisas convergimos e em outras não, mas é o momento em que o Brasil precisa caminhar para frente e eu acredito muito mais na proposta do presidente Bolsonaro do que na proposta do adversário”, disse Zema.

De acordo com Bolsonaro, ele pretende ir, ao menos, três vezes a Minas Gerais, em agendas de campanha. Uma delas já está confirmada: um encontro religioso no próximo dia 12.

“Esse apoio do governador Zema é muito bem-vindo. É o segundo estado que tem o maior colégio eleitoral do Brasil e é decisivo, só quem ganha lá, diz a tradição, pode realmente chegar à Presidência da República, então, há esse interesse meu [pelo apoio]”, disse Bolsonaro. “O Zema goza de grande credibilidade dado a administração que ele fez e esse apoio é decisivo. Em Minas Gerais vamos ter uma boa diferença para o adversário”, completou.

No primeiro turno das eleições, o candidato Luiz Inácio Lula da Silva obteve 48,29% dos votos válidos em Minas Gerais. Bolsonaro ficou com 43,6% de preferência do eleitorado.

Para o segundo turno, Bolsonaro já conversou com outros governadores reeleitos em busca de apoio, como Cláudio Castro, do Rio de Janeiro, Ronaldo Caiado, de Goiás, e Ratinho Júnior, do Paraná.

Entre os candidatos à Presidência que foram derrotados no primeiro turno, Bolsonaro disse que Padre Kelmon (PTB) tem um valor simbólico muito grande para sua candidatura e também vai em busca desse apoio. “Apesar de ter tido uma votação bastante pequena, ele é uma pessoa que mostrou que os cristãos têm que ser respeitados no Brasil e no mundo”, disse.

Rio de Janeiro

No final da manhã, o governador reeleito do Rio de Janeiro, Cláudio Castro, também se reuniu com Bolsonaro, no Palácio do Planalto, e manifestou seu apoio a reeleição do mandatário. No Rio de Janeiro, o candidato Bolsonaro ficou na frente com 51,09% dos votos válidos. Já Lula chegou a 40,68%.

“Eu, como sou do partido do presidente, sou apoiador do presidente, não tinha como não vir aqui e tentar me esforçar muito para o Rio ser a capital da vitória da eleição do presidente Bolsonaro”, disse Castro, em declaração à imprensa.

“Não tenho a menor dúvida que o que fez o Rio crescer e me dar uma votação expressiva [para a reeleição], foi muito o que o senhor [Bolsonaro] me ajudou ao longo desses últimos dois anos”, complementou.

Castro assumiu o comando do Rio de Janeiro em 2021, após a cassação do mandato do então governador Wilson Witzel, do qual era vice-governador.

São Paulo

Rodrigo Garcia, candidato derrotado do PSDB à reeleição ao governo de SP, também anunciou hoje (4) o apoio a Jair Bolsonaro (PL), no segundo turno da eleição para presidente.

Garcia fez o anúncio durante a transmissão de uma live em uma rede social, da qual também participaram Bolsonaro e Tarcísio de Freitas (Republicanos), que está disputando o governo de SP contra Fernando Haddad (PT). Rodrigo também anunciou seu apoio à Tarcísio.

“O PSDB Nacional está reunido neste momento declarando neutralidade, liberando, portanto, os estados. Eu, como candidato a governador do partido e, pessoalmente, como governador de São Paulo, declaro meu apoio incondicional ao presidente Bolsonaro e ao Tarcísio”, afirmou Garcia.

“Venho aqui receber o presidente Jair Bolsonaro no Aeroporto de Congonhas para declarar o meu apoio e o meu voto nesse segundo turno ao presidente. Durante todo o primeiro turno, eu disse que São Paulo é um estado desenvolvido, que dá oportunidades a todos e ajuda quem precisa, porque o PT nunca governou nosso estado. Essa mesma avaliação eu faço em relação ao Brasil, o que eu não quero para São Paulo, muito menos eu quero para o Brasil. Portanto, meu apoio incondicional, meu trabalho nesse segundo turno para que o presidente Jair Bolsonaro possa se reeleger e continuar, ao lado da população, comandando o destino dessa nação”, completou o tucano.

“Esse apoio do Rodrigo é muito bem-vindo. Agradeço muito a ele. Ele já tinha um amigo, agora terá um melhor amigo para propostas que ele possa sugerir ao governo. O Rodrigo, pela sua experiência, um jovem, trabalharemos juntos não só até o dia 30, mas durante o governo”, disse Bolsonaro.

Sérgio Moro

O senador eleito pelo Paraná, Sérgio Moro (União Brasil), também declarou que seu apoio no segundo turno será para o candidato à reeleição, Jair Bolsonaro.

Bolsonaro afirmou que os desentendimentos que teve com o ex-ministro e ex-juiz da Lava Jato, já “estão superados”.

 

Informações: Agencia Brasil

Por fim, leia mais O Mariliense