Veja mais sobre a profissão de Tech Recruiter, que está em alta em 2022

Uma recente pesquisa, conduzida pelo LinkedIn Economic Graphic baseada em milhões de vagas via a plataforma de 2017 a 2021, ajudou a elencar quais os 10 empregos mais em alta no ano de 2022.

Para surpresas de muitos, a primeira colocação ficou com a posição de Tech Recruiter, profissional que exerce uma função muito importante dentro de empresas de tecnologia: selecionar os melhores candidatos para as vagas de TI, especialmente desenvolvedores, e garantir maior assertividade na hora de realizar o match entre candidato e empresa.

“Nos últimos anos, a demanda por profissionais de tecnologia, ainda mais de desenvolvedores e programadores, se tornou voraz. Com o aumento das oportunidades, esse mercado acabou se inflacionando, os salários aumentaram e a troca de emprego muito maior, o que acaba sendo oneroso para as empresas, já que a circulação deste tipo de funcionário acaba sendo muito grande”, explica Frederico Sieck, CEO da Koud, especializada em Alocação de Profissionais & Hunting, cujo principal foco tem sido preparar e treinar Tech Recruiters e conectá-los com empresas de tecnologia para que eles possam atuar junto do RH dessas empresas.

Sieck explica que a pesquisa do LinkedIn reflete mesmo o cenário de empregabilidade. Ter um Tech Recruiter capacitado para buscar desenvolvedores no mercado pode ser um divisor de águas para quem busca esse profissional.

Primeiro, porque o recruiter tem muito conhecimento na parte do negócio que essa empresa desenvolve, possuindo conhecimento técnico para explicar e deixar muito claro o que a vaga oferece, quais serão as responsabilidades do empregado, tarefas executadas e até mesmo o desenvolvimento de carreira. Em contrapartida, ajuda a empresa a  entender se os desenvolvedores têm capacidade técnica para a vaga.

Na equipe de Tech Recruiters da Koud, por exemplo, um dos principais objetivos é encontrar profissionais que, além de técnicos, tenham o mesmo fit cultural com a empresa contratante, ou seja, estejam alinhados com o valores, forma e filosofia de trabalho, o que minimiza o risco de futuras frustrações com o alinhamento de expectativas.

Isso leva a resultados muito mais assertivos no momento da contratação e redução no tempo de encontrar o profissional com match ideal. Um levantamento feito dentro da própria Koud com seus clientes aponta que o tempo de contratação de novos profissionais é 30% mais rápido e o turnover (quando profissionais desistem da vaga depois de contratados) cai em até 40%.

Para se tornar um bom Tech Recruiter, por outro lado, há a exigência de se preparar bastante e estar sempre aprimorando os conhecimentos, já que o mercado exigirá cada vez mais profissionais completos que possam transitar entre a área do conhecimento técnico e também preparado para lidar com pessoas.

“Não adianta também o Tech Recruiter ser bom na parte técnica das vagas e não saber avaliar outros quesitos pessoais. Esse foi um dos grandes desafios aqui na Koud: desenvolver um processo de formação desse tipo de profissional que realmente une as expertises”, diz o CEO da empresa.

 

Por fim, leia mais O Mariliense