Mulher é presa por racismo após xingar motorista de aplicativo de ‘macaco’ na região

Uma mulher foi presa em flagrante após agredir e xingar um motorista de aplicativo de “macaco”, no bairro Vila Souto, em Bauru. O caso de racismo e xenofobia aconteceu na última segunda-feira (21).

De acordo com o boletim de ocorrência, registrado por injúria racial, a Polícia Militar foi acionada para ir até o local, onde a vítima, de 34 anos, que é nacional da Angola, mas mora há 12 anos em Bauru, afirmou que foi alvo de racismo e xenofobia pela passageira ao se negar a fazer a corrida pelo aplicativo.

Ainda segundo o B.O, a mulher, de 39 anos, afirmou que pretendia buscar um “pó na água da grama” e após o motorista se negar a fazer a corrida, ela teria oferecido R$ 30 a mais que o valor estipulado inicialmente para que ele fizesse o transporte da droga.

O profissional recusou novamente a corrida e pediu que a passageira cancelasse, já que, segundo o motorista, somente a passageira poderia cancelar a corrida, depois de aceita. Foi nesse momento, que a vítima relatou que sofreu uma agressão no peito.

Em seguida, a mulher também teria começado a ofender o motorista, dizendo: “esse preto veio da Angola, nem documento tem, deve ter vindo de navio”. Foi quando ele decidiu chamar a polícia.

No local, a PM constatou que a passageira estava sob efeito de drogas ou de bebida alcóolica. Os dois foram levados ao plantão policial e dentro da viatura, os policiais escutaram a mulher dizendo mais ofensas: “esse macaco, desgraçado, filho da puta”.

Na delegacia, a mulher confessou as ofensas e a agressão. A juíza decretou a prisão preventiva dela, após a audiência de custódia.

Por fim, leia mais O Mariliense