Especialista explica como evitar acidentes de trânsito com a chegada das viagens de fim de ano

Com a chegada do mês de novembro, muitas famílias começam a planejar viagens para aproveitar as férias e o descanso de uma rotina de trabalhos e estudos. De acordo com dados da Polícia Rodoviária Federal, neste período aumentam os acidentes nas estradas devido à maior circulação de veículos de passeio com muitos ocupantes.  

Já um levantamento feito pela Organização Mundial da Saúde indicou que 90% dos acidentes de trânsito no Brasil são causados por fator humano. Ainda segundo o órgão, cerca de 40 mil brasileiros morrem todos os anos em desastres automobilísticos, transformando o tráfego do país no 5º mais violento do mundo.  

De acordo com a Doutora Ingrid Luiza Neto, professora do curso de Psicologia do Centro Universitário do Distrito Federal (UDF), neste período em que muitas pessoas se deslocam nas rodovias, é comum a ocorrência de inúmeras infrações de trânsito. As principais delas, segundo o anuário da Polícia Rodoviária Federal (2021), são excesso de velocidade, ultrapassagem incorreta, falta do cinto de segurança e capacete e o pior deles, alcoolemia.  

Os acidentes de trânsito ocorrem tanto em vias com muitos veículos, quanto naquelas com poucos. Mas, um aspecto que chama atenção em locais com menos veículos é o aumento da mortalidade. Em geral, as vias que não têm tanto movimento induzem que os motoristas excedam a velocidade permitida, tornando o acidente ainda mais letal. Essa situação foi verificada na cidade de São Paulo em 2020, durante a pandemia de COVID-19. Apesar da taxa dos acidentes de trânsito ter reduzido, o Relatório Anual de Sinistros de Trânsito indicou que o número de mortes cresceu (CETSP, 2020).  

“Para evitar sinistros de trânsito, especialmente durante as férias, é essencial respeitar as normas de trânsito, não excedendo a velocidade permitida na via, não realizando ultrapassagens perigosas, não ingerindo bebida alcóolica quando for dirigir, além de sempre usar o cinto de segurança ou capacete. Mas, é importante lembrar que, mesmo com o comportamento seguro e adequado durante o percurso, há pessoas que infelizmente não fazem o mesmo. Então, é necessário enxergar este ambiente como potencialmente perigoso, identificando possíveis riscos e comportando-se de maneira defensiva,” alerta a docente.  

Além do perigo de acidentes, há também a possibilidade de ser multado, devido ao cometimento de infrações. Ótimos exemplos que englobam estes dois prejuízos são usar o celular enquanto dirige (infração gravíssima), locomover-se sem o cinto de segurança (infração grave) ou transportar mais pessoas no veículo do que o permitido (infração gravíssima). “Dirigir com excesso de passageiros é muito perigoso e pode gerar a apreensão do veículo. Quando um veículo transporta mais pessoas do que o permitido, invariavelmente alguma delas ficará sem o cinto, que é um equipamento de segurança indispensável”, completa a doutora.  

A psicóloga do UDF, Ingrid Luiza Neto, finaliza dando algumas dicas para se preparar para as viagens de férias e não correr riscos durante o trajeto, confira:  

  • Planeje a sua viagem com antecedência;  
  • Pense em locais de parada e em tempos de descanso;  
  • Caso possível, evite dirigir no período noturno, em que são exigidos maiores níveis de atenção;  
  • Evite alimentos muito pesados, que podem tornar a digestão mais lenta, causando sonolência;  
  • Tenha cuidado com medicamentos que podem impactar em seu sono ou gerar cansaço;  
  • Caso se sinta cansado, faça paradas adicionais para descansar, se alongar e reduzir a tensão física e psicológica;  
  • Evite distrações, como mexer no celular;  
  • Respeite as normas, limites e a vida.  

 

Por fim, leia mais O Mariliense