ACE pede fiscalização intensa da PM no comércio de Pompeia neste fim de ano

O presidente da Associação Comercial e Empresarial de Pompeia, Rinaldo José Traskini entregou ofício ao 1º Tenente da Polícia Militar em Pompeia, Fábio Sebastião de Almeida, solicitando uma fiscalização mais intensa neste fim de ano, entre as principais ruas do centro comercial da cidade, no sentido de coibir as ações dos vendedores ambulantes e da velocidade dos automóveis.

“São duas situações em que os comerciantes da cidade estão reclamando e que pedem um maior patrulhamento por parte da Polícia Militar de nossa cidade”, disse o dirigente da associação comercial ao entregar em mãos o pedido para que haja uma maior fiscalização nestes dois sentidos. “Nesta época do ano as ruas da cidade estarão movimentadas, inclusive, com o funcionamento do comércio no período da noite”, comentou o dirigente.

Segundo Rinaldo José Traskini por haver milhares de consumidores concentrados na região central, muitos vendedores ambulantes tentam explorar pequenos espaços ou até mesmo de forma móvel, vender produtos de origem duvidosa, sem nota fiscal, garantias e com preços bem inferiores. “Isso é um problema, pois, muitos consumidores são iludidos com a oferta e acabam consumindo esses produtos suspeitos”, falou ao acrescentar, também, os alimentos.

“Todo e qualquer ambulante presente nas vias públicas deve ser coibido”, falou ao defender os comerciantes que estão estabilizados e que cumprem com as obrigações legais, além de serem fiscalizados com maior rigor e frequencia. “Não me parece justo este tipo de permissão”, falou ao compreender a necessidade social de algumas pessoas.

Outro pedido encaminhado a Policia Militar de Pompeia é quanto a velocidade de alguns automóveis no centro da cidade. De acordo com o relato de diversos comerciantes associados da entidade, vários veículos particulares estão com velocidade elevada nas ruas do centro. Isso tem causado insegurança e já existem registros de ocorrências neste sentido, em virtude dos carros passarem rápido, até mesmo nos cruzamentos mais intensos.

“A partir do dia 12 de dezembro, segunda-feira, as lojas da cidade passam a funcionar até às 22 horas, e certamente mais pessoas estarão no centro comercial o que aumenta o risco de acidentes, se os automóveis não forem fiscalizados”, falou Rinaldo José Traskini ao conversar com inúmeros comerciantes da cidade e ouvir a mesma reclamação. “Serão três sábados, em que as lojas estarão funcionando até às 17 horas”, acrescentou o dirigente ao lembrar de que mensalmente são dois.

Para o mês de dezembro o sábado dia 03, o primeiro do mês, o funcionamento será até às 15 horas. Dias 10, 17 e 24, todos sábados, o funcionamento será até às 17 horas.

Dia 31, também sábado, o funcionamento será até às 13 horas. De 12 a 22 de dezembro, nos dias úteis, as lojas abrirão das 9 às 22 horas. Dia 23, véspera do Natal, uma sexta-feira, as lojas ficam abertas até às 20 horas. Após o Natal, dia 26, segunda-feira, o período do comércio em funcionamento será das 12 às 18 horas, o mesmo acontecendo no dia 02 de janeiro.

“É importante que comerciantes, comerciários e consumidores tenham conhecimento destes horários, o mesmo acontecendo com a Polícia Militar de nossa cidade”, falou Rinaldo José Traskini que acredita num bom movimento entre as lojas do varejo, por ser o principal período de vendas no ano.

 

Por fim, leia mais O Mariliense