Dina Boluarte assume a presidência do Peru, após Castillo ser destituído e preso

A ex vice-presidente do Peru, Dina Boluarte, tomou posse como presidente do país, nessa quarta-feira (7). Ela substitui Pedro Castillo, que foi destituído da presidência, pelo Congresso, após  ter sido acusado de tentativa de golpe de Estado ao tentar dissolver o Parlamento Peruano, também nessa quarta-feira.

“Assumo [o poder] de acordo com a Constituição do Peru, deste momento até 26 de julho de 2026”, disse Boluarte, uma advogada de 60 anos que se tornou ontem a primeira mulher a liderar o Peru. José Williams, presidente do Congresso peruano, destaca que o Parlamento restitui, desta forma, a “ordem democrática e constitucional”.
As declarações no Parlamento nesta tomada de posse relâmpago surgem depois das autoridades do país terem determinado a detenção de Pedro Castillo, até então presidente.No Twitter, a polícia peruana publicou uma foto do ex-presidente junto a alguns agentes, confirmando a sua prisão. As imagens foram entretanto apagadas e as autoridades não esclarecem se Castillo continua detido.

Castillo foi acusado de tentativa de golpe de Estado, tendo sido destituído pelo Congresso peruano, com 101 votos a favor, seis votos contra e dez abstenções. Horas antes, Pedro Castillo tinha anunciado a dissolução do órgão e a criação de um “governo de emergência”, em antecipação à votação do impeachment contra o chefe de Estado. Decretou ainda um recolher obrigatório a nível nacional a partir de ontem (7), entre as 22h00 e as 4h00.

O presidente, agora destituído, havia indicado que pretendia convocar “o mais rapidamente possível um novo Congresso com poderes constituintes para redigir uma nova Constituição num período não superior a nove meses”.

Dina Boluarte, que agora ocupa o cargo de presidente, havia denunciado que estava em curso “um golpe de Estado que agrava a crise política e institucional” no Peru. Também o ministro de Negócios Estrangeiros, César Landa, acusou Castillo de promover um “autogolpe de Estado”.Landa, assim como vários outros ministros do governo, anunciaram a demissão para se distanciarem das ações de Pedro Castillo.

Nos últimos anos, a instabilidade política tem sido uma constante no Peru. Desde que assumiu a presidência do país em 2021, Pedro Castillo foi alvo de três processos de impeachment.

Ainda antes, em novembro de 2020, o Peru teve três presidentes diferentes em apenas cinco dias.

Informações: RTP
Por fim, leia mais O Mariliense