Paleontólogo confirma se tratar de fóssil de Dinossauro encontrado na região de Rio Preto

No último dia 23 de novembro, o paleontólogo William Nava recebeu algumas fotos enviadas pelos engenheiros da concessionária Triunfo para que ele identificasse o “estranho mineral” detectado pelos operadores de maquinário que trabalham  na altura do km 85 da BR 153, a rodovia Transbrasiliana, na região de São José do Rio Preto.  

A partir das fotos, William Nava confirmou que, de fato, se tratava de fóssil de dinossauro e orientou para que isolassem a área e cobrissem o fóssil para proteger das chuvas.  

A concessionária Triunfo teve a sensibilidade e responsabilidade de proteger a descoberta, mesmo antes da confirmação. O paleontólogo de Marília entrou em contato com o paleontólogo Fabiano, do Museu de Paleontologia de Uchoa, e compartilhou a informação, já que ele escava e estuda fósseis de dinos encontrados naquela região.

Dessa forma, os paleontólogos foram ao local no último sábado, dia 3 de dezembro, para tentarem retirar o fóssil e se depararam com outros ossos juntos. Foi uma surpresa. Ao escavarem o fóssil inicialmente descoberto, (úmero, osso da perna dianteira), apareceu outro grande fóssil ao lado, este um fragmento de fêmur de proporções consideráveis.

Estavam diante de fósseis de um titanossauro, aqueles dinos grandes, quadrúpedes e herbívoros, que vagaram pela região há cerca de 80 milhões de anos, incluindo a região onde hoje é Marília. E, para ter acesso aos fósseis em questão, precisaram retirar muitas rochas do entorno, e surgiu também uma vértebra isolada, mas certamente do mesmo titanossauro.

Encontraram, ainda, a outra porção do fêmur que estava meio soterrada no meio dos sedimentos e, no final da tarde, tinham os fósseis removidos das rochas, em segurança. Os fósseis pertencem ao Período Cretáceo Superior, com idade entre 70 e 80 milhões de anos.

O secretário municipal do Trabalho, Turismo e Desenvolvimento Econômico, Nelson Mora, enaltece o trabalho do William Nava, que é uma referência na paleontologia e continua a fazer descobertas importantes para a ciência. 

Essa descoberta revela a existência de grandes dinossauros herbívoros, que certamente vagavam em bandos, à procura de alimentos.

O prefeito Daniel Alonso enfatiza que, no entorno de Marília, já foram identificados restos ósseos que correspondem a 12 titanossauros diferentes, pois os fósseis vêm de locais distantes. “É uma grande riqueza, sem dúvida!”, disse o chefe do Executivo.

 

Por fim, leia mais O Mariliense