Após ser empossado no Congresso, Lula sobe a rampa do Planalto e recebe faixa presidencial

Após ser empossado no Congresso Nacional, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva subiu hoje (1º) a rampa do Palácio do Planalto, em Brasília, e recebeu a faixa presidencial de cidadãos que representam a diversidade do povo brasileiro. Entre eles estava o cacique Raoni Metuktire, de 90 anos, líder do povo Kayapó, o menino Francisco Carlos do Nascimento e Silva, o professor Murilo de Quadros Jesus, a vigília Jucimara Fausto dos Santos,  o influenciador da inclusão  Ivan Vitor Dantas Pereira, o metalúrgico Weslley Viesba Rodrigues Rocha e a catadora Aline Sousa.

A primeira-dama Janja Silva, o vice-presidente Geraldo Alckmin e sua esposa, Lu Alckmin, acompanharam Lula e o grupo na entrada do palácio. A cadela vira-lata Resistência também subiu a rampa. Ela morava no acampamento de militantes do Partidos dos Trabalhadores em frente à Polícia Federal, em Curitiba, e foi adotada por Janja quando o presidente estava preso na cidade, em 2018.

Lula voltou a discursar no Parlatório da sede do Executivo federal. Ao se dirigir aos apoiadores que o aguardavam na Praça dos Três Poderes, o presidente iniciou o discurso agradecendo os eleitores que combateram a “violência política” durante na campanha eleitoral e disse que vai governar para todos os brasileiros. 

“Vou governar para os 215 milhões de brasileiros e brasileiras, e não apenas para quem votou em mim. Vou governar para todas e todos, olhando para o nosso luminoso futuro em comum, e não pelo retrovisor de um passado”, afirmou. 

Democracia foi a grande vitoriosa, diz Lula em discurso de posse

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse hoje (1º), durante seu discurso na cerimônia de posse no Congresso Nacional, que a democracia foi a grande vitoriosa nas eleições de 2022. Ele destacou a atuação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na condução do pleito e disse que a frente democrática vitoriosa superou “a maior mobilização de recursos públicos e privados que já se viu”, em referência à campanha do candidato Jair Bolsonaro.

“Nunca os recursos do Estado foram tão desvirtuados em proveito de um projeto autoritário de poder, nunca a máquina pública foi tão desencaminhada dos controles republicanos, nunca os eleitores foram tão constrangidos pelo poder econômico e por mentira disseminadas em escala industrial”, disse.

“Apesar de tudo, a decisão das urnas prevaleceu graças a um sistema eleitoral. Foi fundamental a atitude corajosa do poder Judiciário, especialmente do TSE, para fazer prevalecer a verdade das urnas sobre as violências de seus detratores”.

Lula começa hoje o seu terceiro mandato. “Renovo o juramente de fidelidade à Constituição, junto com vice e os ministros que conosco vão trabalhar. Se estamos aqui hoje é graças a consciência política da sociedade brasileira à frente democrática que formamos ao longo dessa campanha histórica”, destacou o presidente.

A hora é de pacificação, diz presidente do Congresso em posse de Lula

Em seu discurso durante a cerimônia de posse presidencial no Congresso Nacional, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), disse que, nas eleições de 2022, a democracia foi testada e tornou-se a grande vitoriosa. “É possível que tenha sido o processo eleitoral mais importante de nossa história após a redemocratização. O tempo dirá.” Após seu discurso, Pacheco encerrou a sessão solene de posse de Lula e Geraldo Ackmin na presidência e vice-presidência da República.

Segundo Pacheco, o novo governo chega com desafios complexos, como unificar um Brasil polarizado, garantir compromissos sociais e governar com responsabilidade fiscal. “ Nós, representantes dos Poderes da República, precisamos trabalhar juntos para encontrar os caminhos que garantam igualdade, solidariedade e dignidade ao nosso povo”, afirmou o presidente do Congresso.

Para o presidente do Congresso a hora é de pacificação. “Deixemos para o passado tudo o que nos separa, tudo o que nos divide. Olhemos para o futuro como uma nova oportunidade, um recomeço.”

O presidente do Congresso também se disse confiante por estar diante de “dois homens públicos experientes, capazes e habilidosos”, referindo-se também ao vice, Geraldo Alckmin.

Ele destacou os dois primeiros mandatos de Lula “Marcados pela inclusão social, pelo crescimento econômico, pelo respeito às instituições”.

E comentou a parceria estabelecida com Geraldo Alckmin, anteriormente adversário de Lula “um sinal claro de que o interesse do País está além e acima de questões partidárias. Um sinal de que é preciso unir forças pelo Brasil.”

Pacheco disse em seu discurso que “da parte do Poder Legislativo, o espírito é de cooperação” com o governo que toma posse neste 1º de janeiro, citando o empenho para a aprovação da PEC da Transição. O presidente do Congresso também defendeu a realização de uma reforma tributária como uma das prioridades do Legislativo para 2023. Segundo ele, o sistema de arrecadação brasileiro precisa com urgência ser desburocratizado e simplificado.

Líderes de Estado parabenizam Lula pela posse

O presidente da França, Emmanuel Macron, parabenizou o presidente Luiz Inácio Lula da Silva pela posse hoje (1º). Em seu perfil na rede social Twitter, ele escreveu, em português: “Ordem e progresso: o Brasil honra seu lema”. E finalizou: “Estamos juntos”, ao publicar uma foto ao lado de Lula.

O primeiro-ministro do Reino Unido, Rishi Sunaki, também pelo Twitter, parabenizou Lula por iniciar o que chamou de “um terceiro período histórico” como presidente do Brasil. “Em nome do Reino Unido, gostaria de desejar todo o sucesso na liderança do Brasil e espero fortalecer nossos laços econômicos, culturais e ambientais”.

Já a vice-presidente da Argentina, Cristina Kirchner, celebrou a posse de Lula publicando a seguinte mensagem em seu perfil no Twitter: “Amanhece um novo dia na América do Sul”. Cristina finalizou o post, que acompanha uma foto de Lula e da primeira-dama Janja Silva, desejando força ao presidente recém-empossado e ao Brasil.

Informações: Agencia Brasil

Por fim, leia mais O Mariliense