Suzane Von Richthofen é solta após Justiça conceder regime aberto

Na tarde desta quarta-feira (11), às 17h35, a detenta Suzane Louise Von Richthofen, condenada pelo assassinato dos pais, deixou a prisão após a Justiça conceder progressão de pena para o regime aberto. Segundo a Secretaria da Administração Penitenciária, do governo estadual, Suzane estava na Penitenciária Feminina I Santa Maria Eufrásia Pelletier, em Tremembé. Ela estava em regime semiaberto desde 2015.

O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP) informou que a decisão foi da 2ª Vara de Execuções Criminais de Taubaté em cumprimento dos requisitos estabelecidos pela Lei de Execução Penal. O caso corre sob segredo de Justiça.

Suzane foi condenada a 39 anos de prisão por participação no assassinato dos pais, em 2002. O engenheiro Manfred Albert e a psiquiatra Marísia Von Richthofen foram mortos em casa com golpes de barra de ferro em um crime planejado e executado pela filha mais velha do casal, Suzane, com a ajuda do então namorado, Daniel Cravinhos, e do irmão dele, Cristian Cravinhos.

Regime aberto

No regime aberto, o condenado tem autorização para cumprir a pena fora da prisão e trabalhar durante o dia e, à noite, precisa retornar para uma casa de hospedagem prisional coletiva, definida pela Justiça e que abriga presos que também estão no mesmo regime.

Para não perder este benefício, o condenado precisa seguir determinadas regras, como:

  • permanecer no endereço que for designado durante o repouso e nos dias de folga;
  • cumprir os horários definidos para ir e voltar do trabalho;
  • não pode se ausentar da cidade onde mora sem autorização judicial;
  • quando determinado, deve comparecer em juízo, para informar e justificar suas atividades.

O juiz pode estabelecer ainda outras condições especiais, dependendo de cada caso, mesmo seguindo essas condições básicas.

 

Informações: Agencia Brasil

Por fim, leia mais O Mariliense