Pedagoga dá dicas para lidar com o choro no primeiro dia de aula e facilitar a adaptação escolar

O ano já começou, as férias estão indo embora e o retorno das aulas para muitos já chegou, até esse ponto não há nenhuma novidade, mas no caso dos pais de primeira viagem, chega a hora de levar o filho para o primeiro dia de aula. O problema é que por não estar acostumado, os pequenos acabam chorando e demonstram receio em frequentar a escola. Mas afinal, por que isso acontece? 

De acordo com a pedagoga e coordenadora do curso de Pedagogia do Centro Universitário da Serra Gaúcha – FSG, Simone Martiningui Onzi, toda vez que a criança for inserida em um novo ambiente – seja escolar ou não – ela estará apresentando reações adversas pois aquele novo lugar é desconhecido para ela. Além disso, a primeira ida a escola, por exemplo, significa passar menos tempo em casa e/ou com a família, que era uma situação conhecida e confortável para a criança, ou seja, ela pode estranhar e sentir a “perda” disso de forma negativa. 

Para aqueles pequenos que já frequentam a escola, é preciso considerar que a retomada para a mesma, normalmente vem depois de um período de férias, em que a família esteve presente, com momentos de descontração, entre outras atividades, e nesse cenário, a escola representa a perda desses momentos e por isso acontece o choro. 

“Os pais possuem papel fundamental na adaptação de seus filhos na escola, podendo auxiliar inserindo-o no contexto da vida da família, como parte integrante e um momento prazeroso de aprendizagem e evolução. Quando a criança retorna para casa, é importante sempre perguntar e ouvir atentamente sobre o dia da mesma na escola, interagindo com a importância do momento e valorizando a experiência para a criança”, afirma.  

Do mesmo modo, os responsáveis precisam evitar a mensagem de que a criança deve ir à escola por “obrigação” e não falar de forma depreciativa do local e/ou dos professores na frente da criança, assim como não conectar a escola como recompensa positiva ou negativa de alguma atitude que a criança teve em casa.  

Meu filho não para de chorar, o que fazer? 

Para Onzi, primeiramente os pais devem acolher e validar o sentimento da criança e cuidar para dizer: não precisa chorar, a escola é legal, ou algo similar a isso. “A criança não tem a nossa maturidade e por isso é importante demonstrar que tudo bem chorar, pois é uma situação nova, já que todos vão aprender junto a lidar com esse sentimento, e que é normal se sentir apreensivo, que você, enquanto criança também teve seus momentos de chorar por conta do desconhecido, mas que conseguiu superar. Desta forma, você conseguirá incentivar a criança a superar esse momento junto também”, aconselha. 

A parceria família, escola e pedagogo/professor é fundamental para a adaptação da criança no ambiente escolar, pois é nesse alinhamento de responsabilidades e olhares de acolhimento que o sucesso desse processo será efetivado.  

“O pedagogo, junto a escola e família, irá também acolher o sentimento da criança, e além disso, auxiliando em diferentes formas de mostrar que o ambiente da escola é lúdico e prazeroso, por meio de atividades de integração entre professor e estudantes, bem como apresentando a instituição e diferentes possibilidades de interação entre todos”.  

Por fim, a coordenadora do curso de Pedagogia da FSG, deixa uma mensagem para os pais que vão levar os filhos para a escola pela primeira vez: “queridos pais, preparem seus filhos para inserção na escola. Expliquem, mais de uma vez, o que vai acontecer quando a criança ingressar nesse meio, fale de suas experiências positivas na escola e insira a criança nas atividades pré-escola dentro do possível, tais como: levar o estudante junto para experimentar o uniforme, para comprar alguns materiais, entre outros”, finaliza.

 

Por fim, leia mais O Mariliense